terça-feira, 18 de dezembro de 2012

SR. DEPUTADO,

ESPERAMOS SEU APOIO AOS EDUCADORES!!!

28% JÁ

VAMOS FICAR EM VIGÍLIA NA PRAÇA E NA ASSEMBLEIA

PARA ACOMPANHAR OS VOTOS DOS DEPUTADOS


DIA 19/12 a partir das 8h

Precisamos garantir pelo menos três representantes por Núcleo.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012


SR. DEPUTADO, 

ESPERAMOS SEU APOIO AOS EDUCADORES!!!

 28% JÁ

VAMOS FICAR EM VIGÍLIA NA PRAÇA E NA ASSEMBLEIA 
PARA ACOMPANHAR OS VOTOS DOS DEPUTADOS

DIA 18/12  a partir das 13h

Precisamos de apoiadores para o dia seguinte caso não ocorra a votação!!
Inscreva-se no 39°Núcleo para nos representar na quarta- feira. Precisamos garantir pelo menos três representantes por Núcleo.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

COLEGAS

Lembramos que o prazo para a inclusão de ilustrações no Livro "ESSAS MULHERES 2" ainda está aberto. O tema sugerido é opressão em todas as suas faces. Todo e qualquer trabalho será bem vindo. 
Faça a sua. 
O prazo ainda está aberto.

Envie sua ilustração para cpers39@gmail.com ou entregue na Sede do Núcleo (Avenida Alberto Bins, 480/9º andar).

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

VIGÍLIA EM FRENTE A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA 
PARA ACOMPANHAR A VOTAÇÃO DOS 
PROJETOS DO GOVERNO

DIA 18 DE DEZEMBRO, 3ª FEIRA
A PARTIR DAS 13h
NA PRAÇA DA MATRIZ

A Vigília ocorrerá no turno da tarde, mas se não houver votação dos Projetos neste dia (18/12), a vigília continuará no dia 19 de dezembro, 4ª feira.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

A vigília será retomada na próxima terça-feira, dia 18, junto ao Palácio Piratini e à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. 


ATO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE

MATÉRIA JORNAL CORREIO DO POVO

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012



ABAIXO-ASSINADO ENCAMINHADO
AO 39º NÚCLEO


Sugerimos entrar na página da CNTE (www.cnte.org.br) e assinar o abaixo-assinado  que pede aprovação do Parece CNE/CEB número 9/012 que orienta a aplicação do limite mínimo de h/a previsto na Lei do Piso.

Abraços
Selene Michelin Rodrigues
Direção Executiva da CNTE

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

PROPOSTAS APROVADAS NA 
ASSEMBLEIA GERAL DE 29/11/2012


1) Reafirmar a luta pelo Piso Salarial para professores e funcionários e exigir os 28,98% Já!

2) Dia 12 de dezembro = Paralisação Estadual e Ato Público em Porto Alegre.

3) Manifestações Públicas (panelaço, atos, etc.) por ocasião das visitas do Governador no interior. (Programa de Interiorização do Governo)

4) Pressão aos partidos e deputados da base de sustentação do Governo.

5) Vigílias e pressão na Assembleia Legislativa quando forem para votação os projetos de reajuste salarial e de inclusão dos funcionários de escola no Plano de Carreira, com os trabalhadores em educação paralisados.

6) Dia do Sinetaço: definir uma data para que, em frente a todas as CREs do Estado, faça-se o Dia do Sinetaço, começando no ínicio do expediente até o final do turno, com revezamento de escolas. (cada escola fica responsável por um período, organizando-o com professores, funcionários e alunos)

7) Ocupar a Secretaria da Educação no dia da votação dos projetos ou outro dia que seja estratégico.

8) Bloquear as BRs e fazer panfleteação para denunciar o descaso do Governo Tarso com a categoria e manter a luta pelo Piso Salarial.

9) Apoiar as iniciativas das organizações dos trabalhadores que tratam da revogação da Reforma da Previdência que comprovadamente foi comprada com os votos do mensalão.

10) Moção de Apoio às negociações de paz da Colômbia: Nós, educadores, organizados no CPERS/Sindicato, apoiamos as negociações de paz da Colômbia. Entendemos necessário, para a existência de uma paz duradoura, que a Sociedade Civil organizada se faça presente como membro nato na mesa de negociações, como o são as FARC-EP e o Governo da Colômbia. Com a finalidade de concretizar o propósito de construção da paz da Colômbia, nosso País irmão, os encontros de negociações devem acontecer na Colômbia, junto a seu povo, parte maior interessada. Outrossim, afirmamos a necessária presença do Governo do Brasil, pela sua importância na América Latina, como um dos países testemunha das negociações de paz. Paz com justiça social, direitos humanos, democracia, soberania e liberdade.

11) Moção de Repúdio às remoções ocorridas no Colégio Estadual Protásio Alves: Repudiamos as remoções de professores ocorridas no Colégio Estadual Protásio Alves, descumprindo os critérios estabelecidos pela própria SEDUC de preenchimento das vagas. Os colegas remanejados eram representantes da Escola junto ao 39º Núcleo do CPERS/Sindicato, um deles teve sua carga horária reduzida e a outra, gestante, foi removida para o extremo sul da cidade, com clara intenção de perseguição política.

12) Resolução sobre o reajuste do Piso Salarial Profissional Nacional: Considerando que: - A Lei do Piso Salarial Nacional segue sob ataque, pois a nova ADIn 4848, apresentada por seis governadores, inclusive Tarso Genro, do PT, engrossa as ações contra os reajustes anuais baseados no custo-aluno do FUNDEB. Isto reforça o ataque contido no PL 3776/2008, de autoria do Governo Dilma, o qual fixa o reajuste do Piso apenas pela variação do INPC; - A Direção da CNTE passou a negociar, sem consultar as bases, com o Governo na Câmara, um critério alternativo que combina a adoção de 50% do custo-aluno da média do FUNDEB de dois anos, mais o INPC do ano anterior; - A base deve ser ouvida em Assembleias nas entidades de base. A Assembleia Geral do CPERS/Sindicato resolve: 1 - Manter a sua posição pela aplicação integral da Lei do Piso, pois entende que direito não se negocia, se aplica e se amplia. 2 - Conclamar a CNTE para que revise a sua posição e que, ao invés de cair na armadilha de descaracterizar a lei duramente conquistada, organiza a continuidade da luta nacional pelo seu efetivo cumprimento. Deve organizar uma campanha para exigir do Governo Dilma que tome medidas para forçar os prefeitos e governadores a aplicarem integralmente a Lei do Piso. Que Dilma condicione qualquer repasse do FUNDEB à prestação de contas, responsabilizando legalmente prefeitos e governadores que desrespeitarem a nossa Lei.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

AGENDA ESSAS MULHERES 2013

O livro "ESSAS MULHERES" tornou-se AGENDA 2013. A agenda é um trabalho de qualidade e com conteúdo poético e cultural. Nela vocês encontrarão histórias de nossas lutas e conquistas sindicais, ilustrações de homens e mulheres que fizeram o mundo ser melhor e ainda as produções das autoras... Vale a pena conferir!!!




Estamos com as agendas "ESSAS MULHERES 2013" para serem vendidas. O dinheiro arrecadado será usado para publicação do livro "ESSAS MULHERES 2". Quem tiver interesse em ajudar vender, a agenda custa R$10,00 e encontra-se a disposição no 39º Núcleo.

Eva Maria Lago Pinto

Nasceu em São Borja e cresceu em Passo Fundo, onde começou sua vida profissional como Professora e depois Orientadora Educacional.  Devido a sua atuação destacada, foi convidada a fazer parte da Diretoria da AOERGS -Associação dos Orientadores Educacionais do Rio Grande do Sul- em 1988. Exerceu os cargos de Primeira Secretária, Vice-Presidente e Representante do RGSul , na FENOE - Federação Nacional dos Orientadores Educacionais. Foi eleita em Plenária Estadual das Entidades dos Especialistas (Aoergs, Assers, Adergs e Aiergs), para compor com a Diretoria do CPERS Sindicato, na gestão de Paulo Egon, como representante dos Especialistas. Nesse período, trabalhou com empenho, em favor das bandeiras de luta dos Especialistas de Educação e por uma educação de qualidade. Foi eleita também como representante do Cpers para o Conselho do IPE, onde teve atuação destacada na defesa dos direitos do magistério.
       Marcou sua trajetória como uma batalhadora incansável nas diversas frentes, com posicionamentos sólidos em favor de uma escola democrática, de uma sociedade igualitária, sempre com uma visão de mundo comprometida com as lutas dos trabalhadores. Faleceu no dia 20/10/2012.
       Fica o seu exemplo, de dedicação, de dignidade, seu senso de justiça, sua mente aberta, na luta pelas causas da educação e cidadania. Sua simplicidade e seu sorriso franco farão falta a nós, que fomos felizes em conhecê-la e conviver com ela.  EVA, grande companheira, descansa em paz,!
                       Texto: Naima K.Ayub e Eny R.Dalmaso           
Novembro/2012

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

ENCERRAMENTO DAS AULAS DE DANÇA



    ENCERRAMENTO AULAS DE DANÇA

                      

                         39º NÚCLEO
    Venha conhecer o trabalho realizado e programe-se para participar no próximo ano.DIA 27/11 às 19h 30min   no Salão do Colégio Júlio de Castilhos 
    Traga um salgado e um presentinho para trocar com os colegas!
1º FÓRUM SOCIAL PALESTINA LIVRE
OFICINA AGENDA COLÔMBIA
ISRAEL - PALESTINA - COLÔMBIA - BRASIL

DIA: 1º DE DEZEMBRO (SÁBADO)
HORÁRIO: 12h30min
LOCAL: RUA DA PRAIA, nº 1234


DIA NACIONAL DO SAMBA

O 39º Núcleo do CPERS/Sindicato e a Escola de Samba Unidos de Vila Isabel convidam os Educadores para comemorar o Dia Nacional do Samba. A festa será realizada no dia 2 de dezembro, domingo, com início previsto para às 20h, na Quadra da Escola de Samba Unidos de Vila Isabel, em Viamão. O 39º disponibilizará transporte de ida e volta. O ingresso será R$15,00.
Interessados entrar em contato com o Núcleo pelo fone 3221.2380 ou e-mail cpers39@gmail.com até do dia 30/11.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012


AGENDA COLÔMBIA -BRASIL
No dia 23 de novembro teve lugar a primeira Vídeo-Conferência em Escola da Agenda Colômbia-Brasil.






Organizada pelo 39º Núcleo do Cpers/Sindicato e pelo Centro de Professores do Colégio Júlio de Castilhos, aconteceu a Vídeo-Conferência da Agenda Colômbia-Brasil. O objetivo da agenda é construir a Solidariedade Direta: trabalhadores e estudantes dos dois países dialogando diretamente, ao vivo.




Com a vídeo-palestra do professor da Universidade da Colômbia e mediação do Sociólogo Maurício Avilez, exilado, mestrando da Ufrgs, alunos e professores tiveram a oportunidade de dialogar e trocar experiências.
Essa atividade foi também um chamamento para a participação dos brasileiros na Construção da Paz da Colômbia e no Fórum Pela Paz da Colômbia que acontecerá  em Porto Alegre, em maio de 20013.


Goretti Grossi
(Vice-Diretora do 39º Núcleo CPERS/Sindicato)

terça-feira, 20 de novembro de 2012


MANIFESTO QUILOMBOLA NEGRO E POPULAR PARA O 20 DE NOVEMBRO/2012

As violências perpetradas pelo Estado e Governo brasileiro em nível Federal, Estadual e Municipal e particulares contra as comunidades quilombolas , indígenas e juventude negra assumem, na atual conjuntura, uma face verdadeiramente hedionda. Tratam-se de assassinatos, ameaças de morte, descaso no cumprimento dos procedimentos administrativos e legais para demarcação e titulação dos territórios , expressão máxima do Racismo Institucional,  despejos violentos e ataques massivos praticados por neo fascistas, no nível do Poder Judiciário e do Poder Legislativo, a exemplo da Adi 3239, proposta pelo DEM ( antigo PFL), contra o Decreto 4887/2003 e o Projeto de Lei nº 44/07, de autoria do deputado federal Valdir Collato, do PMDB-SC que visa sustar a aplicação do decreto 4887/2003, que regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos de que trata o art. 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. E ainda o Projeto de Emenda Constitucional 215/2000 que ataca Quilombolas e Indígenas.
  Após mais de 250 anos de opressão histórica contra a população negra, rural e urbana, o século XXI assiste a reedição de medidas sócio-políticas que patrocinam um verdadeiro etnocídio contra comunidades quilombolas brasileiras. Temos exemplo disso aqui no Estado onde o Parlamento Gaúcho aprova a racista resolução 18/2012 que ataca Direitos de Quilombolas e Indígenas.
                  No mês da consciência negra não temos o que comemorar !
Atividades oficiais se repetem em todo País , marchas, seminários, debates, palestras, exposições etc; cuja tônica será a tentativa dos setores do movimento social negro e social cooptados pelo projeto político dominante dos herdeiros da casa grande de que tudo está bem e que o que é possível ser feito , está sendo feito.
                      Anunciarão, por exemplo, no que se refere às Comunidades Quilombolas, o Governo Federal estará editando 11 Decretos de Desapropriação , sendo dois deles , para Comunidades do Rio Grande do Sul, a saber Rincão dos Caixões e Manoel Barbosa, está última no Município de Gravataí, falarão da Lei Federal que regulamentou as políticas afirmativas nas Universidades Públicas; exaltarão o Estatuto da Igualdade Racial (Monstrengo que surgiu da junção dos interesses dos latifundiários e agronegócio representados pelo defenestrado amigo do “Carlinhos Cachoeira” Demostenes Torres (DEM), Onix Lorenzoni (DEM) e o representante dos interesses de uma casta de negros e negras cooptados em cargos de 5º, 4º, 3º escalões das diversas esferas de Estado o Paim) e não faltarão lideranças que subirão nos palanques e carros de som visando transformar o 20 de novembro , numa verdadeira apoteose de lava pés e beija mão das nova Princesa Isabel, Dilma, redentora, e de painhos e mainhas , em escala Estadual e Municipal por todo País, afinal de contas, precisão justificar, para seus patrões e patroas as migalhas (Cargos e financiamento para suas respectivas ONGs) que caem da mesa do banquete que as mineradoras, empreiteiras, bancos, papeleiras, agronegócio , fazem, sendo o prato principal o Brasil e a grande maioria do povo brasileiro em especial a maioria do povo negro, ou seja, transformar o 20 de novembro na sua negação , bem como, pequenas conquistas táticas, construidas com luta, e todas elas ameaçadas, em seu contrário.
                O impacto da violência direta por um lado, cuja expressão maior é o comprovado Genocídio da Juventude Negra consolidada através do aterrador número da mais 350 mil jovens negros, na faixa etária de 14 à 24 anos entre 97 e 2007, assassinatos e ameaças de morte de lideranças quilombolas , e indígenas , e de outro o racismo institucional expresso pelo descaso no cumprimento efetivo de conquistas presentes na Constituição Federa de 88, como o artigo 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias , portanto , 24 anos atrás e o saldo de , somente 122 Comunidades Tituladas num universo de mais de cinco mil comunidades quilombolas no País , um processo arrastado e lento que tem como desdobramento a desagregação de nossa resistência secular, transformando um Direito, em moeda de troca para poucos beneficiados, em detrimento da maioria, expondo muitas lideranças ao desespero da sobrevivência individual, ou a olhar para o próprio umbigo, perdendo o foco.
          Nesse 20 de Novembro, singelamente, e dentro das nossas possibilidades temos uma tarefa essencial. Temos que procurar diologar com a maioria que está fora da festa e da mesmice , procurar acumular forças e reagrupar os que querem lutar, reiniciar a caminhada de organização do nosso povo, ou seja, recuperar o carater de luta e denúncia do 20 de novembro.
          Essa será a principal homenagem que poderemos fazer aos nossos mortos, ou seja, não basta sobreviver como capachos e traíras, temos que viver com dignidade e alteridade entendendo que sem um projeto político estratégico de poder , sem identificar o inimigo, sem entender as manobras que o poder racista e burguês exerce , a energia generosa de nossas lutas, como em Codó no Maranhão, nos Silva e Morro Alto no RS, do Rio dos Macacos na Bahia. do Brejo das Criolas em MG, dos Guarani Kaiowá em MS e de tantos outros se esvairão.
        De nossa parte , em Porto Alegre, estaremos construindo um ato às 16h no dia 20.11 na frente da Prefeitura de POA, durante a concentração da Marcha Zumbi dos Palmares, uma construção coletiva com setores de juventude , como o Levanta Favela, Coletivo Catarse, Frente Nacional em Defesa dos Territórios Quilombolas. Fração MNU de Lutas Autônomo e independente, SINTECT/RS, Quilombo Raça e Classe da CONLUTAS; Quilombo dos Silva , Quilombo Fidelix, Quilombo do Areal, Quilombo de Morro Alto, SINDPPD entre outros , denunciando o Racismo Institucional da Prefeitura de Porto Alegre que cobra um IPTU milionário do Quilombo da Família Silva e não titula o Quilombo Fidelix e Luis Guaranha, Denunciando o Racismo Institucional do Governo Federal , que através do INCRA /RS não publica o Relatório do Quilombo dos Alpes e , tampouco, notifica os grileiros não quilombolas que invadiram o Quilombo de Morro Alto; denunciar o Parlamento Gaúcho que aprovou uma resolução atacando Quilombolas e Indígenas; denunciar que a FETRAF/SUL e FETAG/SUL se uniu ao CNA para apoiar a famigerada PEC 215 e a ADI3239 do DEM atacando indígenas e quilombolas .

segunda-feira, 19 de novembro de 2012


PRORROGADO O PRAZO 
PARA A ENTREGA DAS PRODUÇÕES
PARA  PUBLICAÇÃO DO LIVRO
“ESSAS MULHERES 2”

Foi prorrogado o prazo para o encaminhamento das produções para a publicação do livro
“ESSAS MULHERES 2”, um projeto do 39º Núcleo do CPERS/Sindicato. O tema é opressão em todas as suas faces e continuaremos reunindo material, agora, ATÉ O DIA 15 DE DEZEMBRO DE 2012.

Os critérios continuam os mesmos:
Pensamentos, depoimentos e poemas: 20 linhas
Contos e crônicas: 3 laudas

Os textos devem ser enviados em fonte arial, tamanho 11, com espaço simples.

Envie sua produção para o nosso e-mail: cpers39@gmail.com.

Educador, libere sua criatividade

Informações:
Telefone: (51) 3221.2380
Blog: cpersnucleo39.blogspot.com

quarta-feira, 14 de novembro de 2012


PROPOSTAS APROVADAS PELO CONSELHO GERAL DE 09/11/12

Eixo Central de mobilização para a Assembleia Geral:

            Reajuste emergencial de 28,98% para professores e funcionários

1. Dia 29/11 = Assembleia Geral na Praça da Matriz, às 13 horas.

2. Campanha de mídia para denunciar o Governo e chamar Assembleia Geral.

3. Visitas às escolas: discussão de paralisações, vigílias, atos, etc. para organizar calendário de pressão ao Governo e Assembleia Legislativa.

4. Assembleias Regionais de 19 até 26 de novembro.

Obs.: Nas Assembleias Regionais formar comissões para visitar escolas na semana que   antecede a Assembleia Geral.

5. Manifestações nas regiões por ocasião das visitas do Governador “Programa Interiorização do Governo”.

6. Dia 29/11 = Conselho Geral, às 8 horas.


OUTRAS PROPOSTAS:

7. Dia 14/11 = Ato Público contras as demissões e remoções dos contratados, em Porto Alegre.

            Obs.: Organizado pelos Núcleos 38º e 39º, com convite aos Núcleos da grande Porto Alegre.

8. Dia 29/11 = Participação na Marcha dos Sem – Caminhada saindo do Palácio Piratini logo após o término da Assembleia Geral.

            17h = Encontro da Marcha dos Sem com a Marcha da Palestina, na Av. Borges de Medeiros.
                        Obs.: O encerramento da marcha unitária será no Gasômetro.

9. Dia 28/11 = Participação de uma representação no Ato em Brasília contra o ACE e Reforma da Previdência.

10. Dia 20/11, Dia da Consciência Negra = Participar das atividades conjuntas organizadas na região e em Porto Alegre. (Materiais sobre o tema estarão disponíveis no site do Sindicato.)

11. Resolução sobre a participação no Fórum Estadual de Educação (FEE), instituído pela Portaria 214/2012, publicada no D.O.E. de 26/10/12.

12. Resolução sobre os problemas causados pelo Governo na nomeação do concurso – demissões dos contratados.

13. Resolução sobre o reajuste do Piso Nacional.

14. Inclusão na pauta de reivindicações do CPERS/Sindicato ao governo do Estado a manutenção das classes e escolas especiais, tendo em vista que está em curso um processo de extinção das mesmas.

RESOLUÇÃO SOBRE O FÓRUM ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

Considerando que:

1. Por intermédio da portaria nº 214 de 26 de outubro de 2012, o Governo do Estado do Rio Grande do Sul instituiu um FÓRUM ESTADUAL DE EDUCAÇÃO (FEE), com representação de entidades patronais e de trabalhadores e competência para “acompanhar o processo de concepção, implementação e avaliação da política estadual de educação”, “a tramitação de projetos legislativos”, “os impactos da implementação do Plano Nacional de Educação”, além de “cooperar no planejamento para a realização de conferências estaduais de educação”.

2. Além de ampla representação de membros do Governo do Estado, o FÓRUM ESTADUAL DE EDUCAÇÃO estará “administrativamente vinculado ao Gabinete do Secretário de Estado da Educação”, conforme regulamenta o art. 6º da referida portaria.

3. Coerente com uma visão neoliberal de educação, que prioriza políticas de favorecimento ao ensino privado e ao grande capital, o atual governo segue mantendo um rumo de desmantelamento da escola pública no RS e de violentos ataques aos educadores. Submisso às vontades dos capitalistas, que possuem profundos interesses na desqualificação do ensino público, o governo institui um FÓRUM DE EDUCAÇÃO com a presença de entidades como o Sindicato dos Estabelecimentos do Ensino Privado (SINEPE/RS), Federação das Indústrias do RS (FIERGS), Federação do Comércio de Bens e de Serviços (FECOMÉRCIO), Federações de Empresários e Sistema S, além de outras representações patronais.

4. Em toda a política desenvolvida pelo governo Tarso não há um só traço de democracia real. O atual governo tem se caracterizado pela intransigência e pelo desrespeito aos trabalhadores em educação, pela indiferença em relação às demandas educacionais do povo gaúcho e pelo abandono dos compromissos assumidos em sua campanha eleitoral. Na verdade, há um sistemático ataque à democracia e aos direitos da comunidade escolar do Rio Grande do Sul. Sequer para audiências de negociação com o CPERS Sindicato há disposição real do governo Tarso e de seus secretários.

5. Evidentemente, a instituição do FÓRUM ESTADUAL DE EDUCAÇÃO tem por objetivo tentar legitimar a política que vem sendo aplicada no Estado. A participação de entidades de trabalhadores (centrais e/ou sindicatos) estaria apenas a serviço de simular diálogo e facilitar a aceitação das políticas que atacam os educadores e o povo gaúcho.


O Conselho Geral do CPERS Sindicato resolve:

1. Não participar do FÓRUM ESTADUAL DE EDUCAÇÃO, divulgando amplamente os motivos de tal decisão.

2. Fazer um chamado a todas as Centrais Sindicais e todas as entidades representativas dos trabalhadores para que também não participem do FÓRUM.

3. Seguir mobilizando o conjunto dos trabalhadores do Rio Grande do Sul na defesa da educação pública de qualidade, voltada aos anseios da classe trabalhadora e do povo gaúcho.

                                                                                  Porto Alegre, 9 de novembro de 2012.

RESOLUÇÃO SOBRE NOMEAÇÃO DOS CONCURSADOS E DEMISSÕES DOS CONTRATADOS

Considerando que:

  1. O governo Tarso, durante a campanha eleitoral, se comprometeu com a realização de concurso público para professores e funcionários. Na campanha salarial de 2011, um dos pontos negociados entre o CPERS Sindicato e o governo foi a realização do mesmo e a nomeação dos aprovados ainda em 2011. No entanto, só depois de muita pressão, o concurso foi realizado em abril de 2012, e apenas para professores;

  1. Apesar de reconhecer a existência de um grande número de vagas nas escolas, o governo decidiu realizar um concurso para preenchimento de apenas 10 mil vagas. E, para piorar, através de critérios absurdos e irregulares, criou enorme dificuldade para aprovação dos educadores. O resultado dessa ação é que apenas 50% dessas vagas serão preenchidas;

  1. Sem o mínimo respeito aos estudantes e ao processo pedagógico, cria mais um caos nas escolas do nosso estado quando determina as nomeações e as substituições dos professores contratados em pleno mês de novembro;

  1. A necessidade real é muito superior à que vem sendo trabalhada pela Secretaria de Educação, na medida em que o governo não está respeitando o critério de 1/3 de hora-atividade, estabelecido em lei. Os educadores, nomeados e contratados, estão cumprindo, em sala de aula, uma jornada superior à que deveriam, sendo esta mais uma atitude ilegal do atual governo;

  1. Milhares de educadores são penalizados com a perda de seus direitos trabalhistas em virtude da instituição sistemática do regime de contratação temporária. Sucessivos governos vêm utilizando essa prática para economizar verbas com a educação pública, e submetendo os trabalhadores a uma precarização violenta das suas condições de trabalho;

  1. Agravando mais ainda essa situação, o atual governo efetuou, ao longo desse ano, milhares de contratações e já enviou para a Assembleia Legislativa mais um projeto que autoriza novas contratações para 2013.


O Conselho Geral do CPERS/Sindicato exige:

1- Que não haja troca de professores no final do ano letivo.

2- Respeito aos empregos dos colegas contratados, pois continuam existindo milhares de vagas nas escolas públicas. Readmissão dos demitidos.

3- Concurso público para professores e funcionários com critérios de aprovação compatíveis com a legislação  vigente.

4- Apoio do CPERS/Sindicato às manifestações dos pais e estudantes que protestam contra os desmandos causados pelo Governo no final do ano.

                                                                                  Porto Alegre, 09 de novembro de 2012.

RESOLUÇÃO SOBRE O REAJUSTE
DO PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL


Considerando que:

- A Lei do Piso Salarial Nacional segue sob ataque, pois a nova ADIn 4848, apresentada por seis governadores, inclusive Tarso Genro, do PT, engrossa as ações contra os reajustes anuais baseados no custo-aluno do FUNDEB. Isto reforça o ataque contido no PL 3776/2008, de autoria do Governo Dilma, o qual fixa o reajuste do Piso apenas pela variação do INPC;

- A Direção da CNTE passou a negociar, sem consultar as bases, com o Governo na Câmara, um critério alternativo que combina a adoção de 50% do custo-aluno da média do FUNDEB de dois anos, mais o INPC do ano anterior;

- A base deve ser ouvida em Assembleias nas entidades de base.


O Conselho Geral do CPERS/Sindicato resolve:

1 – Manter a sua posição pela aplicação integral da Lei do Piso, pois entende que direito não se negocia, se aplica e se amplia.

2 – Conclamar a CNTE para que revise a sua posição e que, ao invés de cair na armadilha de descaracterizar a lei duramente conquistada, organize a continuidade da luta nacional pelo seu efetivo cumprimento. Deve organizar uma campanha para exigir do Governo Dilma que tome medidas para forçar os prefeitos e governadores a aplicarem integralmente a Lei do Piso. Que Dilma condicione qualquer repasse do FUNDEB à prestação de contas, responsabilizando legalmente prefeitos e governadores que desrespeitarem a nossa Lei.


Porto Alegre, 09 de novembro de 2012.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012





IONE TRINDADE ALMEIDA
 

Companheiros de luta não morrem jamais.
Apenas partem antes de nós.”



O falecimento repentino de nossa companheira Ione Trindade Almeida,  ocorrido no dia  10 de outubro de 2012, representa uma grande perda para os seus amigos/ amigas e familiares, bem como para o movimento sindical, educacional e político.  Por sua capacidade de ouvir e de analisar com isenção , por sua cultura e sabedoria, por sua lealdade , ela deixa   um vazio e uma grande saudade, naqueles que com ela conviveram.  Reconhecendo seu grande valor pessoal e intelectual, lamentamos sua morte prematura,  agradecendo por toda a sua grande contribuição, dada ao longo de décadas.      
   
Natural de Alegrete, com formação em Filosofia , Pedagogia/Orientação Educacional e Pós-graduada em Educação,  atuou em várias escolas, dentre essas, Esc.Téc. Parobé e Colégio Est. Júlio de Castilhos. Foi  Presidente da AOERGS -Associação dos Orientadores Educacionais do RS.  Fez parte da Diretoria Estadual do Cpers-Sindicato.  Coordenou a Comissão Estadual de Educação do Cpers.   Foi membro do Conselho Estadual de Educação, por duas gestões, representando nosso Sindicato, e também foi Conselheira do Fundef.
      
Por ser essa incansável lutadora no meio sindical, educacional e político, vai a nossa homenagem à Ione, essa grande mulher e cidadã exemplar.
                                

                                                        Porto Alegre, outubro/2012.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

DIÁLOGO SOBRE O SEAP
 E AVALIAÇÃO DE PROFESSORES

DIA: 08/11 (5ª FEIRA)
HORÁRIO: 17h30
LOCAL: SALA 304 DO CPERS

39º NÚCLEO DO CPERS